Parceria CTI Renato Archer

Cooperação entre o CTI Renato Archer e BYD irá desenvolver células solares de maior eficiência e potencial baixo custo

Parceria CTI Renato Archer

Ao final do mês de Outubro, o CTI Renato Archer e a BYD Energy do Brasil firmaram parceria para o desenvolvimento de células solares inovadoras que, baseadas na junção dupla entre células individuais de silício cristalino e materiais perovskita, irão resultar em um produto que aproveita melhor o espectro solar na conversão de luz em energia elétrica. “A Perovskita é um dos materiais semicondutores sintéticos mais promissores para a geração de energia solar, e o desenvolvimento desta tecnologia somada ao silício cristalino será fundamental para darmos um salto na eficiência das células fotovoltaicas e consequentemente fazer da geração de energia fotovoltaica ainda mais sustentável”, afirma o Gerente de P&D da BYD, Murilo Bonetto.

O pesquisador do CTI e responsável pelo projeto, Fernando Ely, explica que cada célula solar do painel fotovoltaico será configurada em um sistema multicamadas empilhadas, também conhecido como tandem. Na estrutura proposta, a célula superior, de perovskita, será otimizada para coletar fótons de mais alta energia, enquanto a célula posterior, de silício, coletará fótons de mais baixa energia na faixa espectral onde possui máxima eficiência.

“Aproveitaremos as diferentes características de absorção de luz de cada um destes materiais para gerar uma célula mais eficaz. Estudos preliminares mostraram que, a partir dessa configuração das células é possível chegar a índices práticos de eficiência de fotoconversão finais superiores a 30%, com adequada combinação das sub-células de perovskita e de silício”, explica Ely.

O pesquisador também afirma que, apesar de inovador, a produção destas células solares tandem é considerada de baixo custo por utilizar a perovskita, material que demanda processos de manipulação menos onerosos. “O filme de perovskita da sub-célula superior é produzida a partir de soluções químicas manipuladas a temperaturas relativamente baixas. Outra vantagem é que a fabricação da sub-célula perovskita pode ser feita a partir de qualquer arquitetura da célula de silício, o que também reduz o custo, pois utiliza células comercialmente disponíveis, esclarece o pesquisador.

A BYD Energy do Brasil é uma das maiores produtoras e fornecedoras de módulos solares do Brasil e possui uma fábrica instalada na cidade de Campinas (SP), local no qual também está localizado o CTI Renato Archer. A cooperação entre as entidades foi simbolicamente firmada com uma visita do diretor do CTI e da equipe do Laboratório Aberto de Energia Fotovoltaica às instalações da BYD.

“A parceria entre a BYD e o CTI é uma importante iniciativa que vai acelerar o processo de desenvolvimento tecnológico da área fotovoltaica e ainda permitir que mais pessoas tenham acesso a fontes renováveis de energia. Estamos felizes com essa parceria”, comenta Jorge Silva, diretor do CTI.

 

Rolar para cima